A culpa é das estrelas | Filme

00:00

Sendo bem sincera com vocês, eu não sei nem por onde começar esse post. Na última sexta-feira eu fui ao cinema com o meu amor, fomos assistir "A culpa é das estrelas". Eu leio desde que me conheço por gente, sempre adorei fazer isso. E juro, eu nunca, nunca mesmo, vi um filme tão fiel ao seu livro. É fiel porque quem lê o livro consegue sentir a emoção dos personagens, consegue imaginar e realmente entrar dentro das cenas. E o filme acompanha isso perfeitamente. 

É sensível, delicado, feliz, triste, emocionante. Aconselho que levem lenços de papel para não sair do cinema com o rosto todo manchado, como eu saí. Como a própria atriz, Shailene (Hazel Grace), disse numa entrevista: "O livro é sobre o amor de dois jovens com câncer, mas não é sobre câncer."


Basicamente, a história se resume a uma adolescente, Hazel, que tem câncer terminal. Contra a sua vontade, ela começa a frequentar um grupo de apoio para pessoas com câncer. Logo nas primeiras visitas, Hazel conhece Augustus Waters, o Gus, um jovem que está curado do câncer há quatorze meses. Os dois se aproximam muito, frequentam um a casa do outro. Viram, acima de tudo, melhores amigos. 
Até que os dois se apaixonam. Na verdade, sempre estiveram. Mas Hazel se denomina uma granada, ela não quer ficar com Gus porque sabe que vai morrer mais cedo ou mais tarde, e não quer magoá-lo. 

A história se desenrola e termina com um final surpreendente, emocionante! É um filme que eu quero e vou comprar assim que sair em DVD. E mais, não sei se não gostei mais do filme do que do livro. É que no filme a gente tá vendo o que tá acontecendo, sabe? Parece mais real e verdadeiro.

Como já fazia um tempinho que eu tinha lido o livro, não sabia de cor e salteado todos os acontecimentos, mas aos poucos fui me recordando e cada vez que isso acontecia, mais eu chorava pois lembrava o que iria acontecer logo em seguida.

Sobretudo, posso dizer que a história de amor entre Hazel e Gus é simples, verdadeira, profunda. O filme, na minha opinião, dá uma bela lição de moral sobre as coisas que valorizamos (ou não), na nossa vida. Além de falar muito sobre o amor verdadeiro, sobre o nosso dever de aproveitar cada segundo da nossa vida como se fosse o último. É inspirador.




"Alguns infinitos são maiores do que outros."

Espero que vocês tenham gostado dessa rápida resenha e que estejam ansiosas para ver o filme, assim como eu estou ansiosa para repeti-lo! Estou emocionada pelo clipe. :')

Beijinhosss. <3

Você talvez vá gostar

0 comentários

Mande um recadinho!

Facebook