Na estante | Não se apega, não!

00:00


Oi amores! Tudo certo? Tenho resenhado poucos livros por aqui, mas sei que vocês adoram! Hoje eu vou resenhar este que eu tive um tipo de caso de amor e ódio! Hahahaha. Eu explico...

É que assim, antes de ler eu criei muitas expectativas na leitura, ouvi indicações de pessoas relatando um livro maravilhoso, perfeito, tudo de bom! E eu esperava encontrar isso também, sabe? E foi aí que acabei me decepcionando.


Mas, Dó, então o livro é ruim?! Não, pelo contrário! O livro é ótimo e lá pelas tantas fiquei tão cativada que não conseguia mais parar de ler, mas eu acho que comparado a outros livros que já li, não foi "tudo aquilo", entende? 

Mas vamos deixar isso pra lá, né? Deixa eu contar melhor essa história pra vocês! O livro foi escrito pela blogueira Isabela Freitas, que eu conheço há bastante tempo e costumava acompanhar muito até um tempo atrás. Ela escreve muito bem, realmente tem o dom das palavras.


O livro é, basicamente, ela contando sobre o fim do seu namoro de dois anos, como ela superou, etc. Durante as páginas ela também dá várias dicas para nos sairmos melhor nos relacionamentos, conta fatos, experiências e muitas outras coisas, mas tudo isso envolvido numa trama bem literária também... Como eu posso explicar... Digamos que às vezes parece que há ficção junto, além da história real da escritora. Deu para entender? 


Pois bem. No inicio eu achei o livro bem água com açúcar. Clichê, sabe? Entretanto, aos poucos a história começou a ficar interessante e eu queria saber sempre mais o que é que iria acontecer depois. Mas fiquei frustrada porque o livro cria muitas expectativas sobre um relacionamento amoroso da personagem com outro personagem da história que, por fim, acaba não se concretizando. 



Acho que é o livro perfeito para quem está passando por uma desilusão amorosa, primeiro amor, término, brigas no relacionamento, etc. Ele te levanta o astral, te põe pra frente, sabe? Achei esse um ponto mega positivo! 



Por fim, achei a leitura bem gostosa e indico sim, principalmente para meninas que têm passado sufocos em seus relacionamentos amorosos. Acho que o chapéu vai servir durante várias partes do livro. E, na minha opinião, essa é a melhor coisa durante uma leitura: quando a gente se identifica. Não é?



Quem aí já leu o livro e gostou? Comentem!

Beijinhos! <3


Você talvez vá gostar

0 comentários

Mande um recadinho!

Facebook