Fim da Capricho?

00:00



Sim! Foi ontem quando aconteceu. Lá pelas nove horas da noite, na página do Facebook, o pessoal da Capricho publicou uma nota avisando que a nossa tão amada, querida e nostálgica revista impressa teve seu fim. A princípio fiquei chocada com a falta de sensibilidade da equipe ao avisar isso dessa maneira, de forma tão desprentenciosa. Pareciam estar tratando de uma notícia qualquer, o que de fato, para muitos não é.

Para quem quiser ver, aqui está a nota: https://www.facebook.com/capricho/posts/10155676871000252

Que o mundo ao nosso redor está se digitalizando cada vez mais é fato, mas eu acredito que uma revista tão tradicional e antiga, não poderia acabar assim. Eu confesso, não sei se eles anunciaram em algum outro lugar de forma mais clara, onde explicassem os motivos e tudo mais, mas fiquei chatiadíssima com essa notícia.

É verdade, sim, que eu lia bem pouco a revista, aliás, leio apenas o que me interessa. No entanto, sou assinante há muitos anos e a chegada da minha revista sempre foi motivo de alegria. Era nela onde eu pesquisava inspirações para postagens, nela que eu lia textos interessantes e ficava sabendo das novidades. Eu sei que as versões online podem ser muito mais rápidas e recheadas de conteúdos legais, mas nada, nada, nada supre a sensação maravilhosa de folhar uma revista novinha, aquele cheirinho de papel impresso e as imagens tão coloridas e palpáveis. 

Para vocês terem uma noção, a minha mãe lia Capricho...

Em um universo tão virtual e "distante" das pessoas que estamos vivendo, essas pequenas coisas, como ler um bom livro, uma revista legal e até mesmo o jornal do dia a dia precisam ser valorizadas. Cada vez mais estamos nos distanciando de coisas que antes eram vistas como ótimas e extremamente essenciais para os seres humanos. As ligações telefônicas são mais recorrentes do que as conversas naturais, as mensagens trocadas no Whatsapp estão substituindo encontros. Reuniões de trabalho são feitas via Skype.

Nós estamos perdendo cada vez mais a vontade (e a necessidade) de viver coisas reais, palpáveis e imensamente memoráveis, para vivermos uma realidade digital onde, sim, podemos ter muitas informações, aprendizados e etc, mas que não possui, nem de longe, os valores da convivência diária e pessoal. 

A busca pela velocidade em tudo o que fazemos nos faz deixar a desejar em muitos aspectos. Hoje, foi apenas a revista Capricho que deu tchau as bancas... Mas será que no futuro teremos o prazer de apresentar aos nossos filhos leituras em papel? Isso me faz relembrar a minha infância, quando minha maior alegria era ver minha mãe chegar em casa com um novo gibi da Turma da Mônica em mãos, prontinho para eu ler. Me entristece perceber que, talvez, gerações futuras não possam sentir tamanha alegria e satisfação.

Desculpem o desabafo de hoje, mas estou chateada! Não apenas pela Capricho, mas por esse avanço tecnológico que está deixando de lado coisas maravilhosas que, na minha opinião, são essenciais para a construção do ser humano. E olha que eu amo uma tecnologia, viu? 

E vocês, o que acharam dessa decisão da equipe Capricho?

Beijocas!



Você talvez vá gostar

2 comentários

  1. Concordo com você Dóris, eu lia capricho a alguns anos atrás, e era uma revista tão legal. E se tu ver por outro lado também, isso é ruim para nós que queremos ser jornalistas, se toda revista terminar e ser apenas virtual, deixara a profissão mais desvalorizada ainda, a capricho sem a revista, pra mim, se tornara apenas um blog.

    www.cafe-poesia.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Dani! A revista era sensacional, reunia de tudo um pouco e agradava muita gente diferente. É bem isso, parece que se tornou apenas um blog... e não que os blogs sejam ruins, muito pelo contrário, mas eles "jogaram fora" uma história muito linda e antiga! =(

      Excluir

Mande um recadinho!

Facebook